Untitled Untitled
04/11/2013

A Obsessão de Hitchcock por Tippi Hedren


Alfred Hitchcock e Tippi Hedren

A relação obsessiva de Alfred Hitchcock (1899-1980) com as suas atrizes é fartamente conhecida e está bem documentada. Ele teve todos os tipos de outras obsessões também em relação a seus filmes, desde os planos de câmera cirúrgicos à simbologia dos figurinos. Mas, de fato, a fixação pelas atrizes talvez tenha sido uma das suas maiores marcas. Madeleine Caroll, Kim Novak, Grace Kelly Doris Day, todas loiras platinadas. A relação mais conturbada foi mesmo com a atriz emblemática da sua filmografia, Tippi Hedren, protagonista de “Os Pássaros” e “Marnie”.

De fato, o realizador criou uma carreira para Hedren, no entanto, cuidou também de destruir o progresso da carreira dela. É o que diz a própria atriz, hoje com mais de 80 anos, nas diversas entrevistas publicadas recentemente.

Tippi Hedren, modelo com carreira bem-sucedida na década de 1950, cativou o olhar de Hitchcock quando este assistia a um programa televisivo. Ela tinha surgido num anúncio publicitário de uma bebida dietética e o realizador viu nela o que procurava: alguém que pudesse ocupar, com a mesma presença em tela, o lugar que fora anteriormente de Grace Kelly em filmes como "Chamada para a Morte".

A relação com Hitchcock foi iniciada com grande entusiasmo mútuo: ela por ter a oportunidade de trabalhar com um realizador daquela dimensão e ele por ver nela um modelo do que poderia converter-se numa estrela para seus filmes. No entanto, esta relação não tardou a deteriorar-se. Tudo pelo controle que Hitchcock pretendia exercer sobre a vida de Tippi, determinando, por exemplo, a roupa que ela deveria usar em público e pelas tentativas de sedução vigorosamente reprimidas por Hedren, o que resultou numa relação insustentável.

"Se ele desconfiasse que eu fosse sair com alguém, confrontava-me", contou Tippi Hedren ao Guardian.  Diz ela ainda que ele ordenou que a seguissem, mandou analisar sua caligrafia e avisou tanto a Rod Taylor como a Sean Connery que ninguém podia chegar perto dela. Uma constante necessidade de controle. 

Tippi diz ainda que Hitchcock insistia sempre em um copo de champanhe depois do trabalho, quando ela só queria voltar para a casa, para junto da sua filha e que ele sempre tentava estar sozinho com ela.

O americano Donald Spoto, renomado biógrafo que escreveu, dentre outras personalidades, sobre Audrey Hepburn, Marilyn Monroe, Grace Kelly, sobre o famoso diretor inglês publicou três livros: "The Art of Alfred Hitchcock", de 1974; "The Dark Side of Genius", de 1983; e "Fascinado pela Beleza: Hitchcock e suas atrizes", de 2008.  


Tippi Hedren em cena de "Os Pássaros".

De fato, a maior vítima do sadismo de Hitchcock foi Tippi Hedren, a estrela de “Os Pássaros”. A atriz se tornou alvo da obsessão, que a assediou, ameaçou, perseguiu e submeteu a mesma a uma verdadeira tortura. Para uma cena de “Os Pássaros”, em que os bichos atacam a personagem de Tippi, foram usados, ao contrário do que haviam prometido à atriz, pássaros de verdade. Tippi foi submetida a cinco dias desta tortura (os pássaros eram arremessados contra ela, bicavam e a arranhavam), até o momento em que ela teve um colapso nervoso.

  Share Post   

View Comentários Comentários


Faça um Comentário